Sobre a Cidade

SOBRE A CIDADE

Até o século XIX, todo o oeste do atual estado de São Paulo era ocupado pelos índios caingangues. A partir desse século, essa região começou a ser ocupada por fazendas de café[7]. Na primeira metade desse século, foi fundado um núcleo urbano às margens da nascente do córrego Jabuticabal, dentro das terras pertencentes ao português João Pinto Ferreira, considerado fundador da cidade.[8] Em 1848, esse núcleo urbano adquiriu a categoria de distrito de paz. Em 1857, o distrito foi elevado a freguesia. Em 1867, foi elevado a vila, emancipando-se de Araraquara. Em 1868, foi instalada a câmara municipal, cujo primeiro presidente foi Manoel Martins Fontes, que escolheu o primeiro prefeito da cidade, João Nepomuceno Rosa. Porém os reais chefes políticos da cidade eram os coronéis da Guarda Nacional: Juca Vaz, Juca Quito, Major Novaes.

Tal situação perdurou até a queda da República Velha, com a Revolução de 1930[9]. Na primeira metade do século XX, intensificou-se a chegada de imigrantes, em especial de italianos, portugueses, espanhóis e japoneses. Com a decadência da cultura do café, na década de 1930, a agricultura da região se diversificou, com a implantação de culturas como algodão, amendoim, arroz, milho e cana-de-açúcar. Desde essa época, a cidade também era famosa pela sua indústria cerâmica[8].

As datas importantes para a formação política de Jaboticabal são:

1828 (16 de julho): data oficial de fundação

1848: criação do Distrito de Paz de Jaboticabal

1857: elevada à categoria de freguesia

1867: elevada à categoria de vila, com direito à administração própria

1868: instalação da Câmara Municipal