Prossegue vacinação contra raiva em cães e gatos na Zona Rural

Prossegue vacinação contra raiva em cães e gatos na Zona Rural

Durante a campanha antirrábica na zona rural, iniciada no último dia 12, já foram imunizados 394 animais, sendo 56 gatos e 338 cães. O bairro de Ibitiruna está recebendo atenção especial nesta primeira semana. Mas todos os bairros rurais serão visitados pelas equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), até o dia 14 de julho. A meta é proteger contra a doença cerca de 10.000 animais domésticos. A vacinação neste sábado (19/05) será em Tupi, Peória e Bartira.

A Secretaria de Saúde alerta sobre a importância da vacinação, porque a região central do Estado de São Paulo, onde se localiza Piracicaba, é endêmica para a raiva em morcegos, que podem transmitir a doença para outros animais. No caso dos morcegos hematófagos, que atuam na zona rural, as vítimas mais comuns podem ser cavalos, bois, cabras e porcos, capivaras e javaporcos (raiva herbívora). Já os morcegos frugívoros e insetívoros, comuns na zona urbana, vitimam mais cães e gatos. Inclusive porque os animais domésticos, ao verem um morcego caído no chão, se aproximam para brincar e acabam sendo mordidos. O gato tem ainda o hábito da caça.

Recentemente, foram confirmados vários casos de raiva herbívora em municípios vizinhos, sendo dois deles em Piracicaba, no bairro Taquaral. Os cavalos vítimas da doença vieram de Rio das Pedras e não estavam vacinados. O Escritório de Defesa Agropecuária (EDA), ligado diretamente à Secretaria de Estado da Saúde Agricultura e Abastecimento, responsável pelo controle da raiva herbívora, foi acionada pela Secretaria de Saúde e uma equipe veio a Piracicaba para um trabalho de campo de combate aos morcegos hematófagos.

Em Ibitiruna também foi confirmado um caso da doença em gato, que, pelas investigações desenvolvidas até o momento, também foi vítima de morcego. A raiva foi confirmada pelo Instituto Pasteur e, vale destacar, o animal nunca havia sido vacinado. As análises laboratoriais terão continuidade para certificar qual foi o virus em ação que o levou a óbito.

O CCZ já tomou todas as medidas preventivas para evitar novos casos. Contatou os donos do animal, agendou visita de investigação de foco e vacinação aos demais animais da casa, bem como de todos cães e gatos em um raio de 5 quilômetros. A Vigilância Epidemiológica (VE) entrou em contato com a família e explicou sobre a necessidade de todos que tiveram contato direto com o animal receberem tratamento de soro e vacina.

Os animais que vivem em imóveis que estavam fechados, na ocasião do bloqueio, por isso não puderam ser vacinados, devem ser encaminhados ao posto de saúde do bairro na segunda-feira, 21, às 9 horas da manhã, para receber a dose.

Hoje foi realizada uma reunião com as equipes de USF e UBS dos bairros rurais da cidade (Tupi, Tanquinho, Anhumas e Santa Olímpia) para traçar estratégias de prevenção à raiva que serão desenvolvidas nessas regiões ao longo dos próximos dias.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO– A campanha rural de vacinação contra a raiva está em andamento e vai até 14 julho. A urbana começa em setembro e vai até novembro. Mesmo assim, cães e gatos que se expuseram ao risco da doenças, seja na área urbana ou rural, por terem tido contato com morcegos, podem pedir orientação ao CCZ pelo fone: 34342721/3427-2400, e se vacinar na própria unidade, na Rua dos Mandis, s/nº, bairro Jupiá, de segunda a sábado, das 8h às 16 horas. A unidade funciona como posto fixo de vacinação durante o ano todo.